Quem Foi o Rei Uzias?

Para muitos cristãos, tudo o que sabem sobre quem foi o Rei Uzias, está na famosa frase “no ano em que morreu o rei Uzias” no capítulo 6 do livro do Profeta Isaías. Esse mesmo capítulo é certamente um dos mais utilizados em sermões, e nem sempre a referência a Uzias é feita de forma correta. Vejamos nessa breve biografia um pouco mais sobre a história desse importante rei de Judá.

Quem foi o Rei Uzias?

Uzias foi rei de Judá, entre 792 e 740 a.C. Ele foi filho e sucessor de Amazias no trono do reino do sul. Após a morte do rei Salomão, Israel se dividiu em dois reinos, ficando o Reino de Israel ao norte, e Reino de Judá ao sul. Enquanto Uzias governava o Reino do Sul, Jeroboão II era o rei do Reino do Norte (no período de 793-753 a.C.), e foi com ambos os reis que esses reinos experimentaram o maior período de prosperidade e poder desde a morte de Salomão.

O que significa o nome Uzias?

Uzias vem do hebraico uziyah e significa “Jeová é a minha força” ou “força de Jeová”.  Muitos estudiosos acreditam que esse era o lema de seu governo. Uzias também é chamado de forma alternativa por Azarias (hebraico azaryah), e significa “Jeová tem ajudado” (2Rs 14:21; 15:1,6-8; 1Cr 3:12).

O reinado de Uzias:

Uzias tinha apenas dezesseis anos quando começou a reinar, e reinou durante um longo período de 52 anos. Existe a possibilidade de Uzias ter reinado de forma conjunta com seu pai Amazias, desde alguns anos antes de sua morte, porém a Bíblia não faz qualquer referência sobre isso, embora um período de co-regência parece ser exigido quando estudamos a cronologia dos reis de Judá. O que sabemos é que Uzias foi escolhido livremente pelo povo para suceder Amazias (2Rs 14:21; 2Cr 26:1).

Quando Uzias subiu ao trono, reformou as defesas de Jerusalém e reorganizou o exército, trazendo novas tecnologias no rearmamento (2Cr 26:15), já que a insensatez de seu pai havia enfraquecido as defesas do reino.

Receber Estudos da Bíblia

Uzias consolidou a posição do Reino de Judá nas rotas comerciais, e reabriu portos e indústrias de Eziom-Geber (2Cr 26:7,8; 2Rs 14:22), proporcionando grande prosperidade ao Reino de Judá. Uzias também realizou campanhas de sucesso contra os filisteus e contra os árabes, além de recolher tributos dos amonitas e de outros povos. Uzias também construiu fortalezas em localizações estratégicas. Uzias também investia bastante na agricultura e na criação de gados. Sua reputação, devido às seguidas campanhas vitoriosas que empreendia, chegou até o Egito (2Cr 26:6-8). Escavações arqueológicas confirmam com precisão os relatos bíblicos sobre o período de governo de Uzias.

A doença de Uzias:

Uzias não foi como Davi, mas também não foi um rei conhecido por casos de corrupção (principalmente religiosa) que eram frequentes entre os reis do Reino do Norte.

A Bíblia diz que Uzias iniciou seu reinado temendo, buscando e rendendo culto a Deus, fazendo o que era reto perante o Senhor (2Cr 26), e Deus o abençoou. Ele foi muito amado por seu povo, e reconhecido como um grande rei. Durante muito tempo ele se espelhou no sacerdote Zacarias.

Em um determinado momento se sua vida, inflado pelo orgulho de seus triunfos que lhe renderam grande poder e riqueza, ele entrou arrogantemente no templo e, contrariando os sacerdotes, tentou oferecer incenso no altar. Esse direito havia sido conferido por Deus apenas aos sacerdotes, mas ele quis reivindicar esse direito para si. Uzias ficou irado com os sacerdotes que tentaram lhe impedir, e, ainda em sua fúria, foi ferido por Deus com lepra, que logo surgiu em sua testa. Por causa da doença, ele foi forçado a viver o restante de sua vida isolado (2Rs 15:5), e passou a administração de seu reino a seu filho Jotão (2Cr 26:16-21), embora os estudiosos acreditem que ele continuou sendo o verdadeiro governante até sua morte, em um provável sistema de co-regência com seu filho.

Durante o período de seu reinado, houve um grande terremoto (Am 1:1; Zc 15:1) que ficou marcado na memória do povo até o período pós-exílico (Zc 14:5). O historiador Flávio Josefo defendeu uma antiga tradição que atribui esse terremoto ao ato de sacrilégio cometido por Uzias.

Uzias e os profetas:

Os profetas que foram contemporâneos de Uzias foram Isaías, Amós e Oséias (Is 1:1; Os 1:1; Am 1:1). Quando Isaías tem a visão do trono de Deus (Is 6) foi o ano em que Uzias morreu. Muitas pessoas entendem que o fato de Uzias estar vivo, de alguma forma, impedia o ministério de Isaías e a manifestação da glória de Deus, porém isso é um excesso de alegoria de muitos pregadores em seus sermões.

Uzias pecou, e foi castigado por Deus devido ao seu pecado (2Cr 26:19). Mas Uzias foi um grande monarca, amado pelo povo, e símbolo de esperança para eles, tanto é que, após a morte de Uzias, reis que desagradaram e muito a Deus subiram ao trono, levando o povo ao paganismo e à pobreza. Mesmo com a vergonha de seus últimos anos por conta do pecado que cometeu, quando Uzias morreu houve um período de luto nacional. A nação estava desestabilizada, e o povo buscando algum consolo. O maior rei que haviam tido após Salomão estava morto, e a crise havia se instalado em Judá.

É nesse cenário que Isaías vai ao templo, e seus olhos foram abertos para que ele contempla-se o verdadeiro Rei da nação, o legítimo trono que de fato governa e, este trono, não estava vazio, nem nunca estará.

Tag
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close