Quem foi o Rei Asa na Bíblia?

Asa foi o terceiro rei do Reino do Sul, Judá. O rei Asa governou por cerca de 41 anos. Durante esse período o reino de Judá enfrentou períodos de paz e de conflito. A história de Asa ficou conhecida na Bíblia principalmente por seu zelo com o culto ao Senhor durante a primeira parte do seu reinado.

O rei Asa era filho de Abias, a quem sucedeu no trono de Judá. Vale lembrar que nos dias de Asa a nação de Israel já havia sido dividida em dois reinos: um ao norte (Israel) e outro ao sul (Judá). No Reino do Sul a dinastia do rei Davi continuou no poder. Então Asa era descendente direto de Davi. O significado do nome “Asa” é incerto.

O reinado de Asa

O reinado de Asa durou 41 anos. Os dez primeiros anos de seu reinado foram marcados por uma grande paz em Judá. Nesse tempo o rei Asa deu início ao seu programa de reforma religiosa.

No tempo de Roboão e Abias, os cultos pagãos foram encorajados em Judá, mas Asa abandonou essa prática. O propósito de Asa era resolver o problema de idolatria em Judá. Então ele se empenhou a destruir imagens e altares dedicados aos falsos deuses. Inclusive, o rei Asa chegou ao ponto de ter que depor a rainha mãe, Maaca, por causa de seu envolvimento com a idolatria. Ela tinha erguido uma imagem de Asera, a deusa cananita da fertilidade (1 Reis 15:12,13; 2 Crônicas 15:16).

Mas parece que, de certa forma, a reforma religiosa de Asa foi parcial. Isso porque o texto bíblico diz que certos “lugares altos” foram removidos por ele, enquanto que outros permaneceram (2 Crônicas 14:3; cf. 1 Reis 15:14; 2 Crônicas 15:17). Uma solução frequentemente proposta para explicar essa questão considera que os altares removidos foram aqueles que eram dedicados totalmente à adoração estrangeira, isto é, ao culto pagão.

A cronologia dos acontecimentos durante o reinado de Asa também não é fácil de ser estabelecida. Na verdade há muita discussão a esse respeito. O que de fato se sabe é que de forma geral Asa fortificou várias cidades e formou um exército importante em seu reinado.

O rei Asa se envolveu em algumas campanhas militares significativas. O escritor de Crônicas, por exemplo, escreve sobre como Asa derrotou em Maressa um grande exército invasor liderado por Zera, o etíope. Mas o texto bíblico enfatiza que Asa colocou sua confiança em Deus e a vitória foi alcançada (2 Crônicas 14:9-15). Depois disso houve uma renovação da aliança do povo com o Senhor (2 Crônicas 15:1-15).

Os problemas do rei Asa com Israel

Uma questão complicada durante o reinado de Asa foi o conflito com o Reino do Norte (Israel). O clima instável iniciado ainda durante o breve reinado de Abias se intensificou durante os dias do rei Asa. O rei Baasa, de Israel, queria controlar a região norte de Jerusalém e recuperar o território que o pai de Asa tinha conquistado. Então ele invadiu o território de Benjamim e ocupou a cidade de Ramá.

Nesse contexto o rei Asa recorreu ao reino da Síria, liderado por Ben-Hadade, para ajudá-lo com a ameaça de Israel. Ben-Hadadde aceitou os tributos de Asa e se voltou contra Baasa, forçando o exército do Reino do Norte a sair de Ramá. Depois disso, Asa fez uma grande convocação de força de trabalho e usou o material recolhido em Ramá para fortalecer Geba e Mispa.

A atitude do rei Asa de recorrer a Ben-Hadade da Síria foi um ato de incredulidade que foi condenado profeticamente. Asa deveria recorrer ao Senhor e não a uma nação estrangeira. Além disso, para conseguir comprar o apoio da Síria, o rei Asa se apropriou indevidamente de tesouros do templo (2 Crônicas 16:7-10). Mas Asa não aceitou a repreensão profética e acabou lançando o profeta Hanani no cárcere.

Receber Estudos da Bíblia

A morte do rei Asa

Durante os últimos anos de seu reinado, o rei Asa não demonstrou o mesmo comportamento de outrora. Ele não gostou de ouvir a verdade quando foi repreendido pelo Senhor e ainda reprimiu o profeta e parte do povo. Além disso, quando ficou doente no trigésimo nono ano de seu governo, Asa buscou em primeiro lugar o homem, e não o Senhor (2 Crônicas 16:12). Isso mostra que sua fé estava vacilante no período final de sua vida.

A doença de Asa progrediu e alcançou um nível extremamente grave que culminou em sua morte. A Bíblia diz que o rei Asa caiu “doente dos pés” (2 Crônicas 16:12). Alguns estudiosos acreditam que a condição de Asa envolvida um quadro irreversível de gangrena.

Quando o rei Asa morreu, ele foi sepultado com honras na cidade de Davi. Então depois de sua morte, seu filho, o rei Josafá, reinou em seu lugar. Também existe a possibilidade de Josafá ter sido o seu co-regente nos últimos anos de seu reinado, principalmente durante o período de sua doença.

Que tal fazer Bacharel em Teologia sem mensalidades? Clique aqui! Pergunta Estudo Bíblico
Fechar