Casa / Estudos Bíblicos / Tanque de Siloé na Bíblia

Tanque de Siloé na Bíblia

O Tanque de Siloé era um reservatório de água localizado em Jerusalém no lado sul do Templo, a leste-sudeste da cidade. O Tanque de Siloé é muito conhecido entre os cristãos devido à narrativa do Novo Testamento que descreve a cura de um cego de nascença envolvendo as águas desse tanque (Jo 9:1-41).

Qual o significado de Siloé?

A palavra Siloé significa “enviado” ou “conduzido”. Esse é um nome próprio derivado do particípio passado hebraico Shiloah, “enviador”. Assim, provavelmente o nome seja uma referência ao seu canal (aqueduto) que conduzia a água que jorrava da fonte para o reservatório.

A localização e história do Tanque de Siloé

Nos tempos do rei Ezequias foi construído um túnel com a finalidade de levar a água da fonte de Giom a um reservatório localizado dentro da muralha da cidade de Jerusalém.

A fonte Giom era a uma das principais fontes de suprimento de água de Jerusalém. Muitos intérpretes identificam o Tanque de Siloé com essa obra realizada por Ezequias, que tinha como principal objetivo abastecer a cidade caso ela fosse sitiada pala Assíria (2Rs 20:20).

Portanto, numa época de cerco e da ameaça de invasão da cidade, pelo menos seu sistema de abastecimento estava protegido, pois mesmo estando a fonte fora das muralhas da cidade, a água corria por debaixo da terra e alimentava o reservatório que ficava dentro das muralhas de proteção.

Em 1880 foi encontrada num túnel chamado de “túnel de Siloé”, uma inscrição que provavelmente data da época do reinado de Ezequias (715-686 a.C.). A inscrição possui seis linhas, e embora uma parte das primeiras três linhas esteja destruída, o restante da inscrição é suficiente para revelar que se tratava de uma celebração pela conclusão dessa obra.

Na verdade esse empreendimento de Ezequias de fato foi uma impressionante obra de engenharia. O aqueduto que conduzia a água partia de fora da muralha da cidade, da fonte de Giom (1Rs 1:33) e atravessava mais de meio quilômetro de rocha sólida até desembocar no reservatório, o Tanque de Siloé, dentro da cidade.

Na profecia do profeta Isaías é feita referencia as “águas de Siloé”. Nesse caso se tratava de um pequeno riacho e aqueduto de superfície aberta que também levava a água de Giom, talvez utilizado ainda na época do rei Salomão, onde o reino unificado era bastante pacífico.

Receber Estudos da Bíblia

Nessa passagem bíblica, a expressão “águas de Siloé” foi empregada para ilustrar a calmaria da presença sustentadora do Senhor que havia sido desprezada pelo povo de Israel, e por isso sofreriam o juízo com a invasão Assíria, ilustrada pelas impetuosas águas do rio Eufrates (Is 8:7).

Também podemos entender nessa referência que as águas de Siloé fluíam do monte do Templo, e eram consideradas como símbolo de bênçãos espirituais da parte de Deus (cf. Ez 47:1).

Também em Isaías 22:11, encontramos uma provável referência da construção do sistema de aqueduto feito por Ezequias, onde a designação “açude velho” possivelmente se refira a fonte de Giom.

Muitos estudiosos também identificam o Tanque de Siloé com o “açude de Selá” citado em Neemias 3:15. O historiador judeu Flávio Josefo escreveu que o Tanque de Siloé ficava localizado próximo ao velho muro ao pé de Ofel.

O Tanque de Siloé no Novo Testamento

No Novo Testamento o Tanque de Siloé chama a atenção dos cristãos pelo fato de ter sido o local indicado por Jesus para que um cego de nascença lavasse seus olhos após o Senhor ter-lhes passado uma mistura de barro e saliva (Jo 9:1-7).

Após obedecer a ordem de Jesus e lavar os olhos nas águas do Tanque de Siloé, o cego começou a ver. Aqui, muitos comentaristas consideram que Jesus atribui um sentido simbólico ao significado do nome do tanque, isto é, Siloé, que significa “enviado”, apontando então para Àquele que foi verdadeiramente enviado pelo Pai (Jo 3:17,34; 5:36,37; 6:57; etc.).

Também vale lembrar que o Tanque de Siloé não foi o único reservatório de água que serviu como pano de fundo para um dos milagres de Jesus. O Tanque de Betesda, localizado no nordeste de Jerusalém, também serviu de cenário para a cura de um homem deficiente físico (Jo 5).

O Tanque de Siloé também estava associado à Festa dos Tabernáculos, pois a água que era carregada até o Templo era recolhida de seu poço em um jarro de ouro (Jo 7:2). Uma dessas ocasiões serviu de contexto para a exclamação de Jesus: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (Jo 7:37). Saiba mais sobre as festas judaicas.

No Evangelho de Lucas (cap. 13:4) Jesus fez uma referência a Torre de Siloé. Essa torre ficava próxima ao Tanque de Siloé e talvez fizesse parte de alguma forma dos muros de Jerusalém. Jesus falou de um desastre que ocorreu nessa torre, quando pela ocasião de seu desabamento 18 pessoas morreram. Esse evento serviu como um dos panos de fundo para o ensino da Parábola da Figueira Estéril.

Sobre Daniel Conegero

Daniel Conegero
Daniel Conegero é o líder do Projeto Estilo Adoração. Começou a pregar a Palavra de Deus com apenas 3 anos de idade. Aos nove anos começou a compor e liderar o louvor na igreja. É professor de Teologia e também da Escola Bíblica Dominical na igreja em que congrega. É formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Além disso, verifique

Cidade de Belém de Judá

Belém é uma cidade na Judéia onde Jesus nasceu. A cidade de Belém também era ...

2 Comentários

  1. CÉLIA MARIA DE SOUZA PRAQUER DOS SANTOS

    Muito bom os estudos aqui apresentados para o nosso crescimento espiritual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *