Leia diariamente estudos bíblicos, devocionais, esboços de pregações, parábolas de Jesus, artigos teológicos, curiosidades bíblicas, escola dominical (EBD) e muito mais!

O Que é Adorar em Espírito e em Verdade? Quem São os Verdadeiros Adoradores?

Adorar em espírito e em verdade significa honrar a Deus e render-lhe graças de uma maneira tão profunda que envolve todo nosso ser. Essa adoração genuína sempre estará fundamentada na verdade de Deus conforme revelada nas Escrituras, e alcançada somente pelos verdadeiros adoradores.

Os verdadeiros adoradores

Jesus falou sobre a importância de adorar a Deus em espírito e em verdade durante a conversa que teve com uma mulher samaritana quando parou em um poço na região de Samaria. Essa mulher lhe interrogou sobre qual a maneira correta de adorar a Deus, ou seja, basicamente ela queria saber quem eram os verdadeiros adoradores.

Essa pergunta tinha como base a comparação entre a adoração dos judeus e a adoração dos samaritanos. Depois da morte de Salomão, quando o reino de Israel se dividiu em dois, as tribos do norte e as tribos do sul, a capital do reino do norte ficou sendo Samaria, enquanto que a capital do reino do sul permaneceu em Jerusalém.

A adoração no reino do sul era concentrada no Templo de Jerusalém, construído segundo a ordem do próprio Deus. Já adoração no reino do norte era concentrada na própria região de Samaria, especialmente na cidade de Betel. Inclusive, foi nessa cidade que o rei Jeroboão I mandou erguer um dos dois bezerros de ouro que mandou construir em seu território para servir de objeto de adoração. O profeta Jeremias denunciou severamente essa prática (Jeremias 48:13).

Apesar da marcante idolatria entre os samaritanos, eles, assim como os judeus, afirmavam adorar o Deus verdadeiro, o Criador de todas as coisas que tirou o povo de Israel do Egito, mas o culto dos judeus e dos samaritanos não se misturavam, e ambos os grupos condenavam um ao outro por praticarem falsa adoração.

A mulher samaritana fez a seguinte observação: “Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar” (João 4:20). Com isso, ela estava fazendo a seguinte pergunta implícita: Quem são os verdadeiros adoradores?

Muito provavelmente ao dizer “nossos pais adoraram neste monte”, ela estava se referindo ao Monte Gerizim, e ao fato de que Abraão e Jacó tinham construído altares nas encostas desse monte em Siquém (Gênesis 12:7; 33:20). Apesar de ela ter ouvido durante toda a vida que Deus deveria ser adorado ali, os judeus afirmavam veementemente que Jerusalém era o único local legítimo para a adoração.

Então Jesus lhe respondeu: “Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai” (João 4:21). Foi exatamente nesse ponto que Ele afirmou: “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” (João 4:23).

Com isso, Jesus estava dizendo que o povo escolhido de Deus não estaria restrito a Samaria ou Jerusalém, mas seria proveniente de todas as tribos, línguas e nações, servindo-lhe com sinceridade, prestando-lhe o verdadeiro culto.

O que é adorar a Deus em espírito e em verdade?

É possível entender o que é adorar em espírito e em verdade nas próprias palavras de Jesus. Perceba que Ele removeu qualquer limitação física, ou seja, a adoração verdadeira não estaria ligada a este ou aquele local (João 4:21).

Além disso, Jesus também sinaliza o erro dos samaritanos ao dizer que eles adoravam “o que não sabeis” (João 4:22). Aqui vale saber que os samaritanos tinham rejeitado os livros poéticos e proféticos do Antigo Testamento, ou seja, eles tinham ignorado a própria revelação especial de Deus nas Escrituras.

Isso significa que a verdadeira adoração, além de não estar restrita a um determinado lugar considerado sagrado, ela também está completamente fundamentada na verdade sobre Deus conforme revelada em sua Palavra.

Nesse ensino, Jesus também já estava contrastando o verdadeiro culto com o culto segundo as disposições regulamentadoras da Lei, isto é, o caráter temporário do sistema cerimonial e sacrifical do Antigo Testamento daria lugar ao verdadeiro culto definitivo a Deus, por meio de Jesus Cristo, o qual a Igreja santa adora ao Pai verdadeiramente.

O Pai procura os verdadeiros adoradores

Jesus claramente diz que Deus procura os verdadeiros adoradores, ou seja, aqueles que o adorem em espírito e em verdade (João 4:23). Aqui mais uma vez fica muito clara a lição de que não podemos adorar a Deus de qualquer maneira, ao contrário, os verdadeiros adoradores adoram a Deus de acordo com os padrões que Ele mesmo estabeleceu em sua Palavra.

Em outras palavras, jamais Deus aceitará algum tipo de adoração que não esteja em conformidade com a sua vontade. Não importa o quanto o homem tente inovar, imaginar ou criar supostas “adorações”, pois todas elas serão vistas por Deus como falsas e reprováveis. É por isso que Ele procura quem o adore em espírito e em verdade.

O fato de Deus “procurar” quem o adore em espírito e em verdade, não significa que Ele esteja procurando pessoas que cumpram certos requisitos e sejam adoradores aceitáveis, ao contrário, essa “procura” é uma busca salvadora, na qual Ele vivifica pecadores desprezíveis, justifica-os pelos méritos de Cristo, e recebe-os como verdadeiros adoradores pela ação do Espírito Santo.

A necessidade de adorar a Deus em espírito e em verdade

Jesus ainda explicou a importância de adorar a Deus em espírito e em verdade. Ele disse: “Deus é Espírito, e os que o adoram devem adorá-lo em espírito e em verdade” (João 4:24). Ao dizer que “Deus é Espírito”, Jesus estava ensinando que Deus é infinitamente mais elevado do que qualquer tipo de divindade construída por mãos humanas (como fizeram os samaritanos com seus bezerros de ouro), e sua presença jamais estará restrita a um único território, seja uma montanha considerada sagrada como Gerizim, seja o próprio Templo em Jerusalém.

O Deus vivo é o Todo-Poderoso, Criador do Universo, o Deus de toda a terra, diferente dos deuses tribais dos pagãos. Portanto, adorar a Deus em espírito é adorá-lo sabendo que nenhuma imagem pode representá-lo, e que sua presença não está limitada a um suposto lugar sagrado. Deus é Espírito e revela-se a si mesmo em Jesus Cristo, a única imagem do Deus invisível (Colosseneses 1:15).

É por isso que os verdadeiros adoradores adoram o Pai em espírito e em verdade, pois essa “verdade” refere-se à pessoa de Jesus Cristo da qual as Escrituras testificam, o mesmo que disse: “Eu sou o caminho a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6); bem como: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32).

A genuína adoração só é possível através da pessoa de Jesus Cristo, de um relacionamento vital com Ele e de um compromisso com a verdade que Ele revela.

Adorar em espírito e em verdade é um dever

Ainda em João 4:24, Jesus afirma que aqueles que adoram a Deus “devem adorá-lo em espírito e em verdade”. Isso significa que não existe outra opção, ou seja, os verdadeiros adoradores não apenas adoram o Pai em espírito e em verdade, mas naturalmente eles têm o dever de fazer isso, pois essa realidade é parte fundamental de sua nova vida em Cristo.

Portanto, todos os que verdadeiramente nasceram de novo sendo regenerados pelo Espírito Santo, necessariamente adorarão a Deus em espírito e em verdade, e estes verdadeiros adoradores sempre almejaram, por toda sua vida terrena, o grande dia vindouro da consumação de todas as coisas, quando todo o povo a qual o próprio Deus separou para si redimindo-os de seus pecados, estará reunido por toda a eternidade na mais perfeita e plena adoração.

Aplicativo de Estudo Bíblico

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.