O Evangelho de Mateus

O Evangelho de Mateus é o primeiro livro do Novo Testamento, e era o principal Evangelho utilizado pela Igreja Primitiva. Certamente o livro de Mateus inspira os cristãos de todo o mundo e de todas as épocas a cumprirem com gratidão o serviço de anunciar o Reino de Deus.

Neste texto, faremos um panorama completo sobre o Evangelho de Mateus, conhecendo seu autor, a data provável em que foi escrito, o propósito, características e o esboço dessa obra tão importante para todos nós.

Quem foi o Autor do Evangelho de Mateus?

Como acontece também com os outros Evangelhos, no livro de Mateus não consta o nome do seu autor, porém a tradição da Igreja Primitiva o atribuiu a Mateus (também chamado de Levi), um dos doze apóstolos de Jesus.

Após o século 18, alguns críticos começaram a contestar a autoria do primeiro Evangelho, sugerindo que o verdadeiro autor foi um cristão anonimo do século 1, e que talvez, este tenha utilizado alguns manuscritos originalmente escritos pelo apóstolo Mateus para compor essa obra canônica.

Um dos pontos mais discutidos entre tais críticos é a dificuldade que existe com relação ao idioma em que o Evangelho de Mateus foi escrito, apesar de existir a possibilidade de que Mateus tenha escrito sua obra em hebraico e grego.

Receber Estudos da Bíblia

Seja como for, a verdade é que não existem argumentos realmente convincentes para que de fato a autoria do Evangelho de Mateus seja contestada.

Assim, o apóstolo Mateus continua sendo o autor mais aceito entre os estudiosos, desde os mais antigos até os mais modernos, e mesmo que haja alguma dificuldade em se determinar com exatidão sua autoria, nada esconde a verdade que o próprio Espírito de Deus é o principal autor desse Evangelho.

Quais os destinatários originais do Evangelho de Mateus?

Provavelmente o Evangelho de Mateus teve como destinatários a igreja de Antioquia, uma congregação formada por judeus e gentios (cf. At 15).

A forma com que o Evangelho cita promessas feitas no Antigo Testamento sobre a vinda do Messias, o fato da Genealogia de Jesus ter sido retroagida até Abraão, a repetida expressão “Jesus Filho de Davi” e a utilização do termo “Reino dos Céus” ao invés de “Reino de Deus”, comprovam que certamente havia muitos judeus entre os destinatários.

A data em que foi escrito o Evangelho de Mateus

A data que o Evangelho de Mateus foi escrito é incerta, mas é muito provável que seja entre 60 d.C. e 70 d.C.

É amplamente aceito que o autor do Evangelho de Mateus utilizou o Evangelho de Marcos como uma fonte material. Isso parece claro quando analisamos ambos os Evangelhos e notamos que dos 661 versículos do Evangelho de Marcos, 606 possuem paralelo no Evangelho de Mateus.

É possível que Marcos tenha escrito seu livro em Roma quando estava associado ao apóstolo Pedro. Considerando que a obra de Marcos foi utilizado como fonte para Mateus, então uma data provável para esse Evangelho ter sido escrito é por volta 64 d.C.

Características, resumo e propósito do Evangelho de Mateus

O propósito e tema do Evangelho de Mateus é apresentar Jesus como o Messias, o Filho de Deus, sendo o cumprimento das profecias anunciadas pelos profetas no Antigo Testamento.

Logo na genealogia do capítulo 1, Mateus mostra que Jesus é o tão esperado rei prometido, e o reino que Ele trouxe é o cumprimento do plano de redenção de Deus.

O Evangelho de Mateus nos informa que Jesus cumpriu as Escrituras; inaugurou o Reino de Deus; comissionou seus seguidores a espalhar esse reino a todos os povos, tribos e línguas; advertiu que a tarefa de evangelizar seria acompanhada de aflições e perseguições, mas também avisou que sempre estaria com aqueles que são Seus. Por fim, Ele prometeu que um dia retornará e o Reino de Deus alcançará sua plena realização.

Com um arranjo sistemático muito bem feito, trazendo uma categorização e organização dos temas de forma impecável, Mateus nos proporciona a experiência maravilhosa de lermos os relatos do ministério de Jesus descritos por uma testemunha ocular, o apóstolo Mateus.

Esboço do Evangelho de Mateus

  1. Prólogo (1:1-2:23): Contém a genealogia, o nascimento de Jesus e dados da infância de Jesus.
  2. A vinda do Reino dos Céus  (3:1-7:29): Encontramos João Batista anunciando que Jesus é o Messias que traz o Reino dos Céus. Também lemos sobre a tentação de Jesus e o grande Sermão da Montanha.
  3. As obras do Reino dos Céus (8:1-10:42): Essa seção relata muitos milagres de Jesus e também mostra a missão do Reino.
  4. A natureza do Reino dos Céus (11:1-13:58): Jesus explicou a verdadeira natureza de Seu reino, mostrando que não se tratava de um reino conforme as expectativas populares. As parábolas de Jesus registradas no capítulo 13 mostram claramente essa verdade.
  5. A Autoridade do Reino dos Céus (14:1-18:35): Mais uma vez os milagres realizados por Jesus apontam para Sua autoridade como Messias.
  6. As mudanças do Reino dos Céus (19:1-25:46): Nessa seção Jesus denunciou a hipocrisia dos religiosos judeus, e ensinou sobre as grandes mudanças que o seu reino promove. Também é aqui que encontramos o Sermão Escatológico.
  7. A paixão e a ressurreição de Cristo (26:1-28:20): Essa seção relata com detalhes as aflições as quais Jesus foi submetido, e O mostra como o Rei vitorioso que ressuscitou. Antes da ascensão ao céu, Jesus também comissionou os seus discípulos a pregarem o Evangelho por todo o mundo.

Curiosidades sobre o Evangelho de Mateus:

  • Dentre os Evangelhos, este é o que possui mais estilo judaico.
  • Era o Evangelho mais utilizado pela Igreja Primitiva, principalmente para discipulados.
  • É o Evangelho que mais cita a frase “para que se cumprisse o que fora dito“.
  • A palavra “reino” é encontrada cinquenta e seis vezes em Mateus, e a frase “Reino dos Céus” só é encontrada nesse Evangelho.
  • É o Evangelho que mais apresentou Jesus como Rei dos Judeus.
  • Os cinco sermões principais encontrados no Evangelho (Sermão do Monte, Instruções aos Doze, As Parábolas do Reino, A Comunidade Cristã que trata do caráter dos verdadeiros seguidores do Senhor e o Sermão Escatológico de Jesus) contém os textos mais completos entre os Evangelhos sobre o ensino de Jesus.
  • Embora tenha sido originalmente escrito para a igreja em Antioquia, constituída de judeus e gentios, o Evangelho de Mateus claramente demonstra que a sua intenção não era apenas que ficasse restrito aquela congregação, mas que fosse propagado também entre todos os seguidores de Cristo ao longo dos tempos.
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close